Lesão de LCA precisa de cirurgia?

O desejo do atleta em retornar a esportes que envolvam movimentos de giro sobre os membros inferiores é fator preponderante na indicação cirúrgica, assim como a suposta redução no risco de novas lesões. Entretanto, quando nos baseamos em evidências científicas, ainda é discutível se pacientes submetidos à cirurgia têm de fato melhores resultados nestes quesitos citados (Grindem et al, 2014).

Além disso, a necessidade de se operar logo após a ocorrência de uma ruptura do LCA também foi revisada nos últimos anos. Um recente estudo clínico de alta qualidade (Frobell et al, 2013) mostrou que os atletas jovens submetidos a cirurgia logo após a lesão, seguida de fisioterapia pós-operatória, não diferiram em nada nos resultados de seu tratamento daqueles que optaram por uma estratégia de realizar somente fisioterapia no período inicial, com a possibilidade de se submeter a uma cirurgia posteriormente, caso necessário.

Ainda, pacientes que realizaram somente a fisioterapia apresentaram resultados similares aos demais, o que encoraja profissionais e pacientes jovens a considerar a reabilitação como uma primeira opção após lesão recente do LCA.



Deixe uma resposta